Assim como o relacionamento, sexo também precisa ser conversado

bed-1822497_1920

Já conversamos sobre a diferença de quem procura uma alma gêmea e de quem acredita no crescimento do relacionamento, e como o segundo grupo consegue encontrar um relacionamento satisfatório, enquanto os que acreditam em alma-gêmea pulam de relacionamento em relacionamento sem trabalhar neles, à procura de uma perfeição que não existe. No entanto, o que não conversamos ainda é que, mesmo os casais que acreditam em crescimento e negociação tendem a evitar um tópico em particular: o sexo.

É algo que vejo até no consultório. Sexo, na maioria das vezes, é um tópico que é evitado, mesmo quando existe um problema óbvio, que nem o paciente poderia negar. Considerando que o assunto é visto como tabu até na terapia (onde podemos e devemos falar sobre todas as nossas aflições), é fácil imaginar que é ainda menos conversado com parceiros. E é aí que mora o perigo.

Apesar de sexo definitivamente não ser tudo em um relacionamento amoroso, ele é um dos ingredientes principais. Não estou falando de quantidade nem de nada em específico, mas de compatibilidade. A insatisfação sexual pode ser a causa de rompimentos e brigas que muitas vezes se apresentam como motivos secundários, usados como desculpa.

Realmente, não é fácil conversar sobre o assunto. Muitas vezes, associamos a insatisfação sexual com um relacionamento abalado, fraco. Às vezes, associamos até com falta de amor. A  mídia mostra como se em todos os relacionamentos bons, o sexo fosse completamente perfeito, sempre cenas de filme. Sentimos a necessidade de fingir que está tudo perfeito quando não está, para o bem de quem está ao nosso lado. Não queremos magoar o nosso amor, muito menos trazer insegurança. Queremos que nossos parceiros também se sintam dignos a um amor de filme romântico, e seja lá qual for o nosso problema, acreditamos que irá desaparecer com o tempo. Nisso, vão-se meses, anos de insatisfação, e a bola de neve de ressentimento só cresce, até que o inevitável acontece. Muitas vezes, um pequeno problema que poderia ter sido discutido (e resolvido) causa uma insatisfação enorme caso seja escondido por por muito tempo, podendo causar rompimentos em relacionamentos que poderiam ter durado muito mais. Lembre-se que, mesmo quando temos um tapete grande, há um limite do que podemos varrer para debaixo dele. Problemas não desaparecem com o tempo, eles se acumulam.

Tudo pode ser trabalhado e negociado, inclusive o que acontece debaixo dos lençóis. Não existe perfeição, seja na cama ou fora dela. Por outro lado, esconder nossos desejos ou desencantos também não é o ideal. A solução? Comunicação. Caso você se encontre com esse problema, talvez seja a hora de uma conversa honesta com o seu amor. Tente ser o mais específico e o mais aberto possível. Pense, comunique, e pergunte ao seu parceiro(a) também:

O que você gosta? O que realmente te excita na cama?
O que te incomoda agora? Como poderia melhorar?
O que faz você se sentir conectado ao seu parceiro?

Casais mais abertos na comunicação, seja de cunho sexual ou não, são mais felizes. Lembre-se que vocês são um time, e um time precisa trabalhar junto.

Para marcação de consultas (online ou presencial em Petrópolis):
psicologapaulamonteiro@gmail.com
(21) 99742-7750
(24) 98187-4040

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s