Motivos para você aprender a se amar antes de encontrar um parceiro

giulia-bertelli-94235-unsplash(1)

Muitos livros e filmes românticos trazem a ideia de que um parceiro deve nos completar e nos trazer a felicidade, e de que tudo vai se solucionar em nossas vidas assim que encontrarmos a nossa cara metade. Parte disso tudo é verdade: parceiros devem sim adicionar felicidade em nossas vidas; no entanto, eles não podem ser responsáveis por toda ela. É importantíssimo estarmos felizes e satisfeitos conosco antes de entrarmos em um relacionamento, tanto para o nosso bem, quanto para o outro e para o casal como um todo. Eis alguns motivos:

Carga extra:
Quando você coloca toda a responsabilidade da sua felicidade no parceiro, uma pressão que não deveria existir começa a surgir no outro. Se toda a sua felicidade é causada por ele ou ela, o relacionamento fica pesado e às vezes até assustador para o parceiro. Apesar de algumas pessoas gostarem de assumir o papel de herói no começo, isso acaba se tornando cansativo com o passar do tempo. Um parceiro não pode ser responsável por toda a sua vida. Ele é um parceiro, e não seu responsável – sem contar que você não é mais criança.

Dependência:
Como toda a felicidade vem dessa pessoa, você quer fazer absolutamente tudo com ela, e mais nada no mundo tem graça. Muitas pessoas chegam ao ponto de não saírem da cama por conta do parceiro estar fazendo algo sem ela. Sentir saudade quando estamos longe do nosso amor é normal e aceitável, mas entrarmos em depressão por causa disso, não. É importante aprender a se divertir e estar feliz sozinho e também com amigos.

Espaço:
Todos precisamos de espaço, inclusive o seu parceiro. Pense que boa parte da atração vem da curiosidade, de querer descobrir o outro. Se existe uma simbiose e vocês estão fazendo tudo juntos, o relacionamento ficará cansativo, pois não haverá troca de experiência. É super importante ter tempo com o seu amor, mas também é importante deixá-lo respirar (e sentir sua falta!).

Ciúmes em excesso:
Quando não estamos bem e entramos em um relacionamento com um “herói”, nós automaticamente nos colocamos com um valor menor do que o outro. Surge assim uma ansiedade enorme em relação ao parceiro e a possível perda deste, e tentamos segurar tanto aquela pessoa maravilhosa que criamos um ciúme patológico, aprisionador e que afastará o parceiro aos poucos.

Falha na seleção:
Quando estamos tão desesperados por um parceiro, por uma “cura” para a nossa vida, acabamos diminuindo os nossos critérios para estarmos com alguém. Isto é, nos cegamos às nossas necessidades para estarmos com uma pessoa que muitas vezes é incompatível ou que não gosta tanto assim de nós.

Abuso:
Justamente por conta dessa falha no “processo de seleção”, podemos entrar em relacionamentos com pessoas tóxicas, aceitando abusos (emocional, verbal ou físico) e traição, e não nos sentirmos capazes de terminar o relacionamento por conta do alto nível de dependência com o outro e medo de ficarmos sozinhos mais uma vez.

Por outro lado, quando somos dependentes do nosso parceiro podemos causar abusos também, sem percebermos. Sim, nem sempre o abuso é mal-intencionado. Chantagens emocionais são um bom exemplo de abuso emocional que nem sempre é com o intuito de destruir o outro. Às vezes queremos tanto prender o nosso parceiro que causamos danos sem perceber.

 

Portanto, a terapia é extremamente importante para trabalharmos a nossa felicidade própria para podermos então entrarmos em um relacionamento saudável com um parceiro que nos aprecie.

Para marcação de consultas (online ou presencial em Petrópolis):
psicologapaulamonteiro@gmail.com
(21) 99742-7750
(24) 98187-4040

Advertisements