O abuso verbal silencioso

lonely-1822414_640.jpg

Quando falamos de abuso verbal, as pessoas geralmente pensam em gritos e xingamentos. A imagem é de alguém furioso, vermelho de raiva, gritando com alguém. Porém, no mundo real, nem sempre isso é a realidade: o abuso pode vir de muitas formas, incuindo silenciosamente. Considerando que o abuso verbal já é visto como um abuso mais ‘leve’ do que o físico (que aliás, não é – abuso é abuso), o abuso verbal silencioso muitas vezes é visto como uma ‘besteirinha’, e simplesmente ignorado. No entanto, é importante deixar claro que esse tipo de abuso é muito comum e destrói relacionamentos, famílias, auto-estima de indivíduos e pode até alterar o desenvolvimento cerebral de uma criança em crescimento. Eis uns exemplos de abuso verbal silencioso:

1- Críticas excessivas:
Esse tipo de abuso pode ser feito em adultos, seja no trabalho ou em casa, mas é especialmente visto em crianças. Críticas em todos os passos que são feitos pelo indivíduo com o intúito de “pô-lo em seu lugar” ou “ensiná-lo a ser humilde” é uma forma de abuso verbal. Um ótimo exemplo disso é a criança que tira 9.5 na prova e seu pai fala que “não fez mais do que seu trabalho” ou “deveria ter tirado 10”. Repetidos ataques desmotivam e desvalorizam o indivíduo, gerando pensamentos que ele não é merecedor de atenção.

2- Gaslighting:
Já escrevi um post sobre gaslight (clique aqui para mais detalhes). Basicamente, é uma técnica insidiosa, onde a uma pessoa faz com que outra perca a noção do que é realidade ou não. Frases como “nunca falei isso” (quando de fato falou, claro), ou dizer que a pessoa está maluca causa um distorção na ideia de realidade da vítima, e afeta adultos e crianças.

3- Tratamento de silêncio:
O tratamento de silêncio é considerado por muitos o padrão mais tóxico em relacionamentos. Aliás, um dos maiores especialistas em relacionamentos maritais, John Gottman, diz que esse é um dos sinais que a união não vai durar. Mas o tratamento de silêncio não se limita a casais – pode ser feito em qualquer tipo de relacionamento, inclusive mãe/pai e filho. O tratamento de silêncio gera raiva na pessoa que está sendo ignorada, mas em casos onde isso é feito em crianças é especialmente cruel, já que um adulto tem mais capacidade de lidar com a situação do que um indivíduo em desenvolvimento. A criança pode crescer se sentindo sem valor pois não conseguiu a atenção dos pais nesses momentos.

4- Desprezo:
Palavras ferem e reações não-verbais também. Seja cantarolar para fingir que não ouviu, girar os olhos, rir da vítima, ridicularizando-a são agressões também.  Aliás, eu diria que esse é o tipo de agressão que é mais ignorada, e é muito vista em ambientes de escola. Muitos consideram “bobeira” e que deve-se apenas “deixar para lá” esses atos, mas eles podem causar grandes feridas em crianças e adultos. Geralmente é feito por pessoas que precisam ser o centro da atenção, seja em casa, no trabalho ou na escola.

Como qualquer tipo de abuso, caso constante, a vítima pode normalizá-lo, acreditando que está em um ambiente sadio. Infelizmente, o abuso silencioso (sem gritos ou xingamentos) não é discutido o suficiente, e também não é fácil encontrar artigos sobre tal. É importante trazer esse assunto à superfície, pois ele, como qualquer outro tipo de abuso, causa grandes sequelas psicólogicas, seja em adultos ou em crianças.

Para marcação de consultas:
psicologapaulamonteiro@gmail.com
(21) 99742-7750