Mudar para agradar outra pessoa?

Muitas pessoas se questionam se devem mudar algo em si para achar um parceiro. Às vezes nem precisamos procurar os defeitos, porque pessoas próximas apontam eles para nós: “Vocé é muito chorona”, “você é muito dependente”, entre outros.

Voltando à pergunta: devemos mudar algo em nós para achar um parceiro?

Ninguém quer ter um relacionamento com uma pessoa falsa, e, na maior parte do tempo, as próprias pessoas que fazem essa mudança para o outro não sustentam isso para todo o sempre, por isso mesmo que dizem que “a máscara cai depois de um tempo”.

Se formos olhar a vida de casais, podemos ver que muitas parceiras ou parceiros são mandões, dependentes, chorões, e ainda assim têm um ótimo relacionamento com o parceiro, porque encontraram alguém compatível. Não há uma personalidade ‘perfeita’ para ser feliz, e ser falso com o outro e consigo mesmo não dura para sempre. Às vezes até uma pessoa ‘perfeita’ (se é que podemos chamar alguém assim até entre aspas) não encontra um parceiro porque simplesmente não há ninguém compatível com esta no momento/lugar. A questão é compatibilidade. É achar alguém que goste de você por quem você é e que você goste dessa pessoa por quem ela é.

Obviamente, mudanças positivas são ótimas, mas devem começar de dentro para fora, não de fora para dentro. Devemos mudar porque achamos que a mudança vai ser boa para nós, não para o outro.

 

Advertisements

Ansiedade, amiga ou inimiga?

A ansiedade, biologicamente falando, antecede situações de perigo (reais ou imaginárias). O termo ansiedade vem do latim ansheim, que tem por significado “sufocar, estrangular”, isto é, quando nos sentimos ameaçados, nos sentimos também sufocados.

Como não temos controle total sobre nossas vidas, há sempre uma ameaça. Não sabemos o que pode vir a acontecer, há sempre um risco. Porém, ao contrário dos nossos longínquos antepassados, que só se preocupavam em ter abrigo, comida e se livrar de predadores, nosso mundo atual traz uma lista bem longa de perigos. Alguns exemplos são: perda de status, de emprego, amizades, poder econômico…

A ansiedade aparece por motivos diversos e é diferente para cada um. Às vezes, situações que causam ansiedade ansiedade para uma pessoa não causam para outra. A ansiedade pode chegar a um nível incontrolável, gerando um estado de alerta eterno (considerando tanto perigos reais quanto imaginários), e muitas vezes aparece sob a forma de ataques de pânico, fobias e somatizações. Além disso, a ansiedade pode provocar depressão em pessoas com predisposição à doença.

Apesar da ansiedade ter todo esse lado negativo, ela também pode ser positiva. É a ela que nos estimula a fazer o que queremos. A ansiedade, em um nível saudável, aprimora a atenção, a concentração e a memória. Ela nos ajuda a focar em situações que estamos vivendo e nos ajuda a resolver problemas.

Logo, uma pequena dose de ansiedade é essencial para o dia-a-dia. O problema é quando ela foge do controle e começa a nos atrapalhar. É como diz o velho ditado: “A diferença entre um remédio e um veneno está só na dosagem”.